Da criação de compostos biodegradáveis para substituir derivados de petróleo à mudança de paradigma na produção de insumos, a Química Verde é uma área de pesquisa oferecida pela UdeM que hoje se mostra fundamental na promoção do desenvolvimento sustentável

Foi-se o tempo em que o homem produzia riquezas poluindo a natureza sem a mais ligeira consciência dos danos ambientais decorrentes. Hoje, mais do que nunca, a saúde do nosso planeta merece cuidado. A conta chegou. A Química Verde é uma área de pesquisa e inovação científica diretamente ligada aos principais desafios e preocupações do nosso século. Como conjugar desenvolvimento e respeito ao meio ambiente? Como fazer para não apenas controlar, mas também reduzir ou até eliminar substâncias tóxicas do processo de produção de compostos químicos?

Diferente da Química Ambiental, voltada ao estudo dos efeitos causados por diversas formas de poluição, a Química Verde se dedica a evitar que tal poluição aconteça. E não basta que o produto final seja menos tóxico ou se decomponha de maneira menos nociva à natureza. Todo o processo de produção também precisa ser repensado a fim de minimizar os danos ambientais. Para isso, a Química Verde se sustenta em 12 princípios elementares, dentre os quais:

- priorizar matérias-primas renováveis;

- reduzir o uso de solventes (ou priorizar solventes menos tóxicos);

- diminuir ou eliminar os resíduos;

- consumir energia de maneira eficiente;

- usar catalisadores naturais;

- criar compostos biodegradáveis.

Dentre as diversas aplicações da Química Verde, estão, por exemplo, o desenvolvimento de biocatalisadores – que substituem catalisadores sintéticos e podem se dissolver em água – e a produção de plásticos biodegradáveis. A substituição de compostos químicos provenientes de petróleo é, de fato, um dos grandes desafios deste campo de pesquisa.

Desde 2009, a Université de Montréal, junto de outras seis instituições de ensino superior do Québec, integra o Centro de Química Verde e Catálise (CCVC, da sigla em francês para Centre en chimie verte et catalyse). O CCVC facilita o contato entre dezenas de pesquisadores, provenientes de várias partes do mundo, além de permitir o intercâmbio tecnológico e o uso mútuo de laboratórios. Os aspectos econômico e jurídico também estão na alçada do CCVC, que trabalha para que a Química Verde se torne cada vez mais rentável e mais conhecida por todos.

A Química Verde é apenas um dentre os vários campos de pesquisa existentes na Université de Montréal preocupados em promover o desenvolvimento sustentável. A Biologia, a Geografia e a Arquitetura são, além da Química, outros exemplos de grandes áreas que oferecem a estudantes, tanto de graduação quanto de mestrado e doutorado, programas estruturados pela UdeM para pensar e pôr em prática ideias que contribuam para um mundo ambientalmente mais responsável. 

À propos de l'auteur
Daniel Pereira Milazzo

Daniel est journaliste et étudiant au doctorat en littérature comparée à l’Université de Montréal, où il se penche sur le rapport de l'humain à l'éternité. Éclectique, il aime autant Tintin que Spinoza, autant le football que la musique classique. Passionné des langues, il parle portugais, anglais, français et espagnol, comprend un peu d’italien et est en train d’apprendre l’allemand…

Journalisme
Littérature
Vélo

Abonnez-vous à notre blogue

En saisissant votre courriel, vous consentez à recevoir des communications de l’UdeM.

Le test cursus: pour trouver votre voie