"Por que Montreal?" Essa é a pergunta que mais ouvi quando disse aos amigos que iria estudar fora. Com tantas opções, de Nova York a Paris, por que afinal de contas eu fui logo escolher você, que nem é tão glamorosa assim?! Admito que a Université de Montréal influenciou a minha escolha, e também senti uma energia muito boa a primeira vez que te vi, em 2014. Desde lá, eu já sabia o que a QS Best Students Cities descobriu só agora em 2017, que você é, sem dúvidas, a melhor cidade universitária do mundo. 

É claro que o fato de ser francófona mexeu comigo, ainda mais sendo uma metrópole tão próxima dos Estados Unidos. Sei bem que a tentação é grande de se render ao inglês, ainda mais dentro do Canadá. Mas Montreal, você não se rende, pelo contrário, você afirma e impõe o que eu mais gosto em ti: a tua personalidade multicultural.

Moderna como as maiores cidades americanas, charmosa como as europeias e acolhedora como as latinas, encontrei em você tudo o que eu sempre busquei. Não é fácil se desprender das raízes, ainda mais para quem vem de Porto Alegre como eu. Acostumada a tomar um chimarrão todas as manhãs e assistir futebol aos domingos, descobri o chá de maple syrup e aprendi a apreciar o hockey. Descobri que você é uma das poucas e boas que pode se vangloriar de ter um visual diferente nas quatro estações do ano. Branca você fica linda, um pouco desafiadora e geladinha, mas deslumbrante. Quando as flores começam a nascer, você nos avisa sutilmente: guardem as botas e coloquem as bicicletas para fora de casa. Depois, você colore as ruas com verde e nos incentiva a ficarmos na rua até o último raio de sol, que se vai perto das 21h. Um tempo depois, arrebata os corações de todos quando fica amarela, laranja e vermelha. Confesso que foi nesse momento em que eu me apaixonei. Me encantei com os tapetes coloridos que você exibia pela ilha. Fiquei impressionada em como todas as cores combinam contigo. Em todas as estações você promove atividades e, mesmo que as temperaturas caiam abaixo dos -30 °C, o público está lá para te prestigiar. Afinal, como não suportar todas as temperaturas e climas quando saímos à rua e sentimos a segurança que você nos oferece? Você mexe com os nossos sentidos. Cada avenida, cada ruela nos permite ver pessoas de todos os lugares do mundo, ouvir diferentes sotaques, sentir o sabor de inúmeros países. Afinal, você é a capital gastronômica do Canadá (será que existe um ranking para isso também? Caso exista, você é vencedora). Você nos faz sentir que, de onde quer que tenhamos vindo, porque todos aqui viemos de algum lugar, você é de todos e para todos.  

Montreal, eu te escolhi não só por você ter o melhor poutine e a melhor universidade francófona do mundo – a Université de Montréal, onde eu tenho a sorte de estudar. Mas eu te escolhi porque, antes de tudo, você me escolheu. Você me acolheu e cuidou tão bem que, às vezes, tenho a impressão de ter nascido aqui. A gente deu certo e nossa parceria vai continuar por muito tempo porque eu não vou te deixar tão cedo. Para cá eu trouxe minha experiência, minhas expectativas, meu projeto de futuro. Na Université de Montréal, tive o prazer de conhecer professores incríveis, viajar para estudar, fazer amigos e, o principal, ampliar minha visão de mundo.

Você é a melhor cidade (universitária) do mundo, não só porque me acolheu, mas por proporcionar a estudantes de todos os lugares experiências que potencializam suas capacidades visando a um mundo melhor.

Veja o ranking completo

Descubra histórias de sucesso de estudantes brasileiros

Todas as informações necessárias para começar sua aventura

À propos de l'auteur
Carla Simon

Carla é jornalista e mestre em Relações Internacionais pela Université de Montréal. Ela é blogueira, apaixonada por livros, endorfina e chocolate. Em Montreal aproveita para correr e pedalar pelos cantos mais lindos da cidade, desbrava as livrarias mais pitorescas e come chocolate até dentro do metrô.

Jornalismo
Comunicação
Chocólatra

Abonnez-vous à notre blogue

En saisissant votre courriel, vous consentez à recevoir des communications de l’UdeM.

Le test cursus: pour trouver votre voie