Cristiano Therrien, brasileiro doutorando em direito, conta como é a experiência de trabalhar no meio acadêmico em tempos de COVID-19. 

Programme d'études

Doctorat en droit

Pouco tempo após Cristiano Therrien, doutorando brasileiro em direito, entregar a versão completa da sua tese, a crise do COVID-19 estourou. Por essa razão, o estudante viu adiada para setembro a defesa diante da banca. A pandemia global também forçou o cancelamento do estágio acadêmico que ele realizaria numa universidade chinesa – experiência possível mediante bolsa promovida pela UdeM. Cristiano explica que seu projeto de tese gira em torno da análise normativa de tratamentos de dados abertos e pessoais em aplicativos de Big Data utilizados em projetos de cidades inteligentes. O objetivo da pesquisa é identificar relações jurídicas, limitações e possibilidades no gerenciamento dos benefícios e riscos da inovação tecnológica. 

Por outro lado, o COVID-19 trouxe uma nova oportunidade para Cristiano: o trabalho como assistente de ensino na UdeM, dando suporte a vários professores e professoras de direito que precisaram adaptar as modalidades de ensino devido às medidas de distanciamento social. Além disso, ele também foi contratado como assistente de pesquisa incumbido de organizar um evento online sobre temas urgentes na área de direito e de aprofundar conhecimentos sobre ensino jurídico a distância em tempos de pandemia.

Para quem pretende trabalhar na área acadêmica, Cristiano conta que é importante abraçar as oportunidades de estágios com professores: “Uma das melhores experiências que tive na UdeM foi a de trabalhar diretamente com o professorado para aprender e avançar com eles e elas”. Após essa oportunidade, ele pôde trabalhar como assistente no CRDP (Centre de recherche em droit prospectif), o que posteriormente lhe abriu as portas para o cargo que ocupa hoje. 

A rotina de trabalho tem sido intensa: “Tivemos dez dias para promover o treinamento dos professores sobre as ferramentas de ensino a distância usadas pela UdeM antes da retomada das aulas. Ajudo os professores a preparar seus equipamentos e espaços em casa para que tudo funcione”. 

Para Cristiano, trabalhar na universidade permite acompanhar a dinâmica de aulas de graduação e pós-graduação, uma experiência enriquecedora para quem deseja tornar-se professor. Além disso, ele participa de reuniões altamente interessantes de planejamento semestral e diz que o contato ainda mais próximo com os professores é muito recompensador. 
 


"Usei muitos livros, comprei pouquíssimos"

Falando sobre seu percurso acadêmico na UdeM, Cristiano lembra que a preparação não foi de um dia para o outro, mas sim um plano de 15 meses que envolveu muita pesquisa online para entender todos os trâmites, perspectivas, burocracias e orçamento. Cristiano recomenda aos futuros candidatos “paciência e foco” para achar algo que realmente se encaixe no seu perfil. Ele destaca que o grupo da UdeM Brasil no Facebook e a página da UdeM em português são ótimas ferramentas de apoio e planejamento. 

Sobre sua experiência no doutorado em direito, ele acredita que a universidade e a faculdade de direito ofereceram “muito mais do que ele poderia aproveitar”. Ele salienta a qualidade dos professores, a vasta oferta de disciplinas, as possibilidades no exterior e as instalações do campus. Além disso, o doutorando frisa que a biblioteca de direito é um lugar muito especial: “Além da ótima disponibilidade de obras, trouxeram dezenas de livros que precisei e que se encontravam em outras bibliotecas no Canadá e EUA. Usei muitos livros, mas comprei pouquíssimos. Minha pesquisa não seria a mesma sem as bibliotecas da UdeM”.  

Cristiano conclui frisando que o Canadá é uma ótima escolha para quem quer estudar fora, um país que ele recomenda sem dúvida alguma. Ele argumenta que em questão de qualidade, acessibilidade e custo, o Canada é quase imbatível. Além disso, Cristiano ressalta que Montreal é uma cidade extremamente cultural e divertida. E sobre sua experiência na UdeM, ele resume: “Só tenho testemunhos positivos a compartilhar, é a melhor universidade onde eu poderia estudar e será minha alma mater para o resto da vida”.
 


À propos de l'auteur(e)
Bruno C. A. de Jesus

Brésilien, passionné de musique et des hamburgers. Bruno est aussi titulaire d’une maîtrise en français langue étrangère et d’un baccalauréat en communication sociale et journalisme. Après avoir vécu plusieurs années en Suisse, il a déménagé à Montréal où actuellement il découvre les meilleurs cafés et friperies de la ville, tout en étant étudiant au doctorat en sciences humaines appliquées. Au cours de ses études, il a cumulé des connaissances interdisciplinaires variées surtout en sociolinguistique, linguistique queer et l’acquisition de langue étrangère. Ces travaux de recherche s’intéressent aux liens entre la langue, l’identité et la culture LGBTQi+.

Musique
Photographie
Voyage

Abonnez-vous à notre blogue

En saisissant votre courriel, vous consentez à recevoir des communications de l’UdeM.

Le test cursus: pour trouver votre voie